Obesidade e Depressão: duas condições cercadas por mitos e preconceitos

Publicado em 03/10/2023.

Tempo de leitura: 7.4 minutos.

Depressão e obesidade são duas condições de saúde que, apesar das diferenças, possuem alguns pontos em comum, e mesmo numerosos casos nos quais há uma associação entre eles.

Essas semelhanças e associações, como veremos no decorrer do artigo, ocorrem de várias formas, que incluem tanto a relação de causalidade quanto alguns preconceitos e mitos que cercam ambas patologias.

Dessa forma, é comum que pessoas que sofrem de depressão e obesidade relutem em procurar auxílio profissional, tornando-os alvo fácil de pseudociências perigosas.

Nesse sentido, entender a verdade por trás de mitos e preconceitos acerca da depressão e da obesidade é essencial, bem como conhecer as frequentes associações entre as duas coisas.

 

Uma associação comum

A associação entre obesidade e depressão é frequente, e ambas são distúrbios de saúde multifatoriais, ou seja, que possuem uma série de causas que influenciam o seu desenvolvimento[1]Blasco BV, García-Jiménez J, Bodoano I, Gutiérrez-Rojas L. Obesity and Depression: Its Prevalence and Influence as a Prognostic Factor: A Systematic Review. Psychiatry Investig. 2020 … Continue reading.

Os fatores vistos com maior frequência são:

  • Predisposição genética;
  • Hábitos alimentares pouco saudáveis e ricos em alimentos calóricos;
  • Sedentarismo, ou seja, a falta de atividade física;
  • Estresse recorrente;
  • Problemas emocionais e de autoestima.

Além disso, estar acima do peso pode influenciar negativamente a saúde psicológica, seja pela mudança da autoimagem, redução da autoestima e mesmo questões metabólicas. Ao mesmo tempo, a depressão comumente vem acompanhada de sintomas relacionados à alimentação.

 

A relação entre o físico e o psicológico

Quando falamos de depressão, a primeira coisa que vem em mente é que se trata de uma doença psicológica ou psiquiátrica. Em paralelo, a obesidade é vista, por muitos, apenas como uma doença física.

Entretanto, as causas, mecanismos patológicos e sintomas desses dois graves problemas de saúde não ficam restritos apenas a um campo, ou seja, podem afetar tanto a mente como o corpo.

Assim, fatores emocionais e psicológicos estão envolvidos no desenvolvimento da obesidade, e sintomas físicos comumente são experimentados por pessoas com depressão[2]Trivedi MH. The link between depression and physical symptoms. Prim Care Companion J Clin Psychiatry. 2004;6(Suppl 1):12-6. PMID: 16001092; PMCID: PMC486942..

E, seguindo essa mesma linha, os tratamentos devem levar em conta essa complexidade.

 

Como surgem os mitos sobre obesidade e depressão?

A associação entre obesidade e depressão é um tópico complexo e muitas vezes pouco compreendido. Essa má compreensão, por sua vez, pode nos fazer acreditar em interpretações erradas de alguns fatos, ou mesmo gerar explicações simplistas sobre doenças potencialmente graves.

Por isso, os mitos e informações equivocadas sobre o assunto são tão comuns, seja sobre cada problema em separado ou a junção deles.

Então, a seguir vamos conhecer os fatos por trás desses mitos, para assim ter uma melhor compreensão sobre esse tópico tão complexo:

 

Mito: A obesidade causa a depressão.

Fato: Embora realmente exista uma associação entre obesidade e depressão, nem todas as pessoas obesas desenvolvem o problema. Mas, como essa associação de fato existe, é importante que profissionais de saúde tenham essa possibilidade em mente, facilitando assim o tratamento de ambos os problemas.

 

Mito: A depressão causa a obesidade.

Fato: De forma semelhante ao que foi discutido no ponto anterior, pessoas com depressão não irão desenvolver, necessariamente, obesidade.

No entanto, a depressão pode afetar o apetite e o comportamento alimentar, podendo causar tanto o ganho quanto a perda de peso.

 

Mito: A obesidade e a depressão têm causas completamente diferentes.

Fato: De fato, existem causas específicas para as duas condições, e elas podem ser bastante diferentes. No entanto, por se tratarem de enfermidades complexas e multifatoriais, muitos fatores associados à obesidade e à depressão podem ser parecidos como, por exemplo, aqueles relacionados ao estresse e estilo de vida.

Por isso, é essencial buscar essas “coincidências” quando nos deparamos com pessoas acometidas por esses dois problemas de saúde.

 

Mito: A obesidade e a depressão são causadas exclusivamente pela genética.

Fato: Existe um grande debate sobre as causas da obesidade e da depressão, e uma “briga” entre aqueles que acreditam que as causas são puramente biológicas, com quem afirma que causas psicológicas também estão envolvidas. Entretanto, por serem problemas complexos, com diferentes fatores envolvidos no seu desenvolvimento, podemos dizer que tanto a obesidade quanto a depressão podem ter causas genéticas, mas elas não são as únicas[3]Afari N, Noonan C, Goldberg J, Roy-Byrne P, Schur E, Golnari G, Buchwald D. Depression and obesity: do shared genes explain the relationship? Depress Anxiety. 2010 Sep;27(9):799-806. doi: … Continue reading.

 

Mito: Tanto a obesidade quanto a depressão devem ser tratadas sempre com remédios.

Fato: Apesar de existirem medicamentos que podem ser usados tanto no tratamento da depressão quanto da obesidade, eles não são as únicas formas de tratamento disponíveis. Além disso, tais medicamentos, sozinhos, não são suficientes para tratar esses distúrbios de saúde. Assim, na maioria das vezes outras abordagens são utilizadas, como:

  • Psicoterapia;
  • Prática regular de exercícios físicos;
  • Mudanças na alimentação;
  • Reestruturação da rotina diária.

 

Mito: O metabolismo não afeta a saúde mental.

Fato: Estudos recentes já demonstraram que o metabolismo tem um papel importantíssimo na regulação do humor. Em paralelo, a disfunção metabólica causada pela obesidade também pode gerar algo chamado de neuroinflamação, amplificando os efeitos na saúde mental[4]Fulton S, Décarie-Spain L, Fioramonti X, Guiard B, Nakajima S. The menace of obesity to depression and anxiety prevalence. Trends Endocrinol Metab. 2022 Jan;33(1):18-35. doi: … Continue reading.

 

Principais preconceitos sobre a depressão e a obesidade

Apesar de serem problemas de saúde diferentes, tanto a obesidade quanto a depressão são alvos de preconceitos bastante semelhantes. Os principais são:

  1. Falta de força de vontade
    Existe uma ideia bastante difundida de que a obesidade e a depressão são distúrbios simples, e que podem ser resolvidos apenas com a vontade de melhorar.
    Por isso, existem algumas falas que frequentemente são direcionadas a pessoas obesas e com depressão, que, além de não ajudarem na melhora dos problemas, acabam atrapalhando e magoando as pessoas que deles sofrem. Alguns exemplos são:
    “A obesidade é sempre uma escolha pessoal.”
    “Pessoas com depressão devem simplesmente ‘sair disso’ ou ‘animar-se’.”
    “Pessoas com depressão são fracas ou preguiçosas.”
    “É apenas tristeza ou falta de vontade.”
    Embora a vontade de seguir um tratamento para melhorar a saúde física e mental sejam essenciais, isso não significa que esses problemas sejam resultados da falta de “força de vontade”.
  2. São problemas fáceis de tratar
    Tanto a obesidade quanto a depressão são enfermidades complexas, que envolvem fatores psicológicos, físicos e sociais.
    Assim, afirmar que esses dois problemas de saúde são fáceis de tratar, além de ser uma ofensa para quem luta contra eles, é algo completamente errado.
  3. Não são doenças reais
    Esse é um dos principais preconceitos contra a obesidade e a depressão, e pode prejudicar bastante as pessoas que sofrem com esses problemas.
    Classificar doenças como “não reais” faz com que muitos não reconheçam o sofrimento envolvido e culpabilizem as pessoas que lutam contra esses problemas.
    Mas, como diversas pesquisas já demonstraram, a obesidade e a depressão, e a associação entre as duas, são doenças reais, que precisam de tratamentos médicos e podem afetar de forma significativa a saúde.

 

Resumo

  • Tanto a obesidade quanto a depressão são doenças que são alvo de inúmeros mitos e preconceitos, baseados, frequentemente, na falta de informações sobre o tema;
  • A associação entre obesidade e depressão também é algo comum, e pode tornar mais complexo o tratamento;
  • Outro ponto em comum entre esses dois distúrbios de saúde é o fato de que ambos são classificados como multifatoriais, ou seja, possuem numerosas causas que, juntas, levam ao desenvolvimento do problema,
  • De forma semelhante, o tratamento dessas patologias também deve levar em conta essas múltiplas causas, para assim garantir o melhor resultado possível.

Referências

Referências
1 Blasco BV, García-Jiménez J, Bodoano I, Gutiérrez-Rojas L. Obesity and Depression: Its Prevalence and Influence as a Prognostic Factor: A Systematic Review. Psychiatry Investig. 2020 Aug;17(8):715-724. doi: 10.30773/pi.2020.0099. Epub 2020 Aug 12. PMID: 32777922; PMCID: PMC7449839.
2 Trivedi MH. The link between depression and physical symptoms. Prim Care Companion J Clin Psychiatry. 2004;6(Suppl 1):12-6. PMID: 16001092; PMCID: PMC486942.
3 Afari N, Noonan C, Goldberg J, Roy-Byrne P, Schur E, Golnari G, Buchwald D. Depression and obesity: do shared genes explain the relationship? Depress Anxiety. 2010 Sep;27(9):799-806. doi: 10.1002/da.20704. PMID: 20821799; PMCID: PMC2949065.
4 Fulton S, Décarie-Spain L, Fioramonti X, Guiard B, Nakajima S. The menace of obesity to depression and anxiety prevalence. Trends Endocrinol Metab. 2022 Jan;33(1):18-35. doi: 10.1016/j.tem.2021.10.005. Epub 2021 Nov 5. PMID: 34750064.

Compartilhe esta história...

Mitos e fatos: desmistificando conceitos errôneos sobre a cirurgia de perda de peso
Chás milagrosos para emagrecimento: seria a erva mate uma opção?

Ver mais postagens do blog