Facebook pixel code

A obesidade e a apneia do sono

Por Falando de Obesidade - Atualizado em 20 jun 2022, 15h:52 - Publicado em 20 jun 2022, 15h:52 A obesidade e a apneia do sono

Você já ouviu falar de pessoas com diagnóstico médico de apneia do sono. Vamos começar definindo a síndrome da apneia-hipopneia obstrutiva do sono (SAHOS) como uma doença que tem várias causas e se caracteriza por episódios de obstrução parcial ou total das vias aéreas superiores durante o sono, ou seja, enquanto dormimos, não há entrada de ar suficiente nos pulmões. [1]Cori JM, O’Donoghue FJ, Jordan AS. Sleeping tongue: current perspectives of genioglossus control in healthy individuals and patients with obstructive sleep apnea. Nat Sci Sleep. 2018:10169–79.

Os sintomas são ronco intenso, parada de respiração por alguns segundos, que causa preocupação nas pessoas que estão próximas, sonolência durante o dia, às vezes ao dirigir veículos; esse distúrbio pode levar a problemas cardiovasculares [2]Caples SM, Gami AS, Somers IK. Obstructive sleep apnea. Ann Intern Med 2005; 142: 187-97. Esses problemas cardiovasculares alteram a pressão arterial, a saturação de oxigênio e os padrões de sono. Além disso, a apneia do sono pode causar cefaleia ao despertar, sensação de cansaço, fadiga e irritabilidade. [3]Osman AM, Carter SG, Carberry JC, et al. Obstructive sleep apnea: current perspectives. Nat Sci Sleep. 2018:1021–34 Além disso, a questão de adormecer facilmente durante o dia e enquanto se dirige um veículo aumenta muito o risco de acidentes automobilísticos. [4]Turkington PM, Sircar M, Allgar V, et al. Relationship between obstructive sleep apnoea, driving simulator performance, and risk of road traffic accidents. Thorax. 2001;56(10):800–5 Portanto, pessoas que sofrem de apneia do sono têm resultados ruins na avaliação da qualidade de vida em comparação com pessoas saudáveis. [5]Moyer CA, Sonnad SS, Garetz SL, et al. Quality of life in obstructive sleep apnea: a systematic review of the literature. Sleep Med. 2001;2(6):477–91

Existem estudos que apoiam o aumento significativo do risco de mortalidade em pacientes com apneia do sono e diminuição da sobrevida. [6]Marshall NS, Wong KK, Liu PY, et al. Sleep apnea as an independent risk factor for all-cause mortality: the Busselton Health Study. Sleep. 2008;31(8):1079–85

Um dos problemas da apneia é que muitas vezes ela não é identificada pelo médico, quando ele não faz as perguntas específicas para determinar essa patologia. Quando o distúrbio não é diagnosticado, o paciente não é estudado e os problemas mencionados passam a ser graves, prejudicando a saúde do indivíduo.

Qual é, então, a relação entre obesidade e apneia do sono? Essa associação está plenamente estabelecida e a obesidade é o fator mais comum para o desenvolvimento da apneia do sono. Cerca de 70% dos pacientes obesos têm apneia. [7]Tuomilehto H, Seppa J, Uusitupa M. Obesity and obstructive sleep apnea—clinical significance of weight loss. Sleep Med Rev. 2013;17(5):321–9 Além disso, demonstrou-se a relação entre o aumento do índice de massa corporal (IMC) e a gravidade da apneia; a redução do peso e do IMC melhora significativamente a apneia do sono. [8]Peppard PE, Young T, Palta M, et al. Longitudinal study of moderate weight change and sleep-disordered breathing. JAMA. 2000;284(23):3015–21 O aumento do tecido adiposo ao redor do pescoço é uma das maiores razões da obstrução das vias aéreas superiores. [9]Young T, Palta M, Dempsey J, et al. The occurrence of sleep-disordered breathing among middle-aged adults. N Engl J Med. 1993;328(17):1230–5

Assim sendo, forma-se um círculo vicioso entre obesidade e todas as suas consequências e a apneia do sono que, em suas formas graves, pode ocasionar insuficiência cardíaca, arritmias, disfunção erétil e outros. [10]Yılmaz Kara, B., Kalcan, S., Özyurt, S. et al. Weight Loss as the First-Line Therapy in Patients with Severe Obesity and Obstructive Sleep Apnea Syndrome: the Role of Laparoscopic Sleeve … Continue reading

Dessa forma, é importante determinar de quais ferramentas dispomos para o tratamento de pacientes obesos com apneia do sono. A resposta é simples: fazer o possível para atingir a perda de peso. Contudo, a resposta simples requer análise.

No tratamento da obesidade, doença crônica e de difícil controle, surgem as opções de mudança para hábitos saudáveis, alimentação adequada, exercício físico, controle do estresse, entre outros; contudo, ao longo das semanas esses hábitos são abandonados pela maioria das pessoas. Uma questão importante é como tratar o paciente obeso com mais de 35 a 40 kg de sobrepeso.

A opção claramente demonstrada da cirurgia bariátrica surge como uma excelente ferramenta para pacientes com apneia do sono. Quanto maior a perda de peso, mais eficiente é a melhora da apneia. [11]Papandreou C, Hatzis CM, Fragkiadakis GA. Effects of different weight loss percentages on moderate to severe obstructive sleep apnoea syndrome. Chron Respir Dis. 2015;12(3):276–8 Ao perder peso, a gordura no pescoço é reduzida e redistribuída, a massa muscular é aumenta, ocasionando a melhora das vias aéreas superiores. [12]Simpson L, Mukherjee S, Cooper MN, et al. Sex differences in the association of regional fat distribution with the severity of obstructive sleep apnea. Sleep. 2010;33(4):467–74

Devemos sempre ter em mente que as pessoas obesas podem ter apneia, às vezes não identificada, que deve ser avaliada, diagnosticada e tratada a tempo, além de considerar em a opção de cirurgia bariátrica como bypass gástrico ou manga gástrica nos casos de obesidade significativa, porque a perda de peso pode ajudar a controlar o problema da apneia do sono.

Referências[+]

Assine nossa newsletter