Facebook pixel code

Obesidade e problemas ortopédicos

Por Falando de Obesidade - Atualizado em 22 mar 2022, 16h:34 - Publicado em 22 mar 2022, 16h:34 Obesidade e problemas ortopédicos

A obesidade é um distúrbio dos processos metabólicos que se caracteriza por níveis excessivos de gordura no corpo em qualquer faixa etária. É classificada de acordo com o grau de obesidade (IMC 30 – 34,9), obesidade grau II (IMC 35 – 39,9) e obesidade grau III ou obesidade mórbida (IMC > 40). [1]Rodrigo-Cano S,  Soriano  Del  Castillo  JM,  Merino-Torres    Causas  y tratamiento  de  la  obesidad.  Nutr Clin  y  Diet  Hosp.  2017;37(4):87–92.

No presente, são muitos os casos de comorbidade relacionada com a obesidade, como doenças reumáticas, hipertensão arterial, dislipidemia, diabetes tipo 2 (DM2) e apneia do sono, aumentando, assim, o risco cardiovascular, de câncer de rim, garganta, pâncreas, endométrio e mama em mulheres no pós-menopausa. A isso se adiciona um grande número de doenças ortopédicas, que aumentam o sedentarismo e reduzem a mobilidade. [2]CHIAO YI, Liu. Influencia del índice de masa corporal sobre el equilibrio y la configuración plantar en adultos obesos. Rev Bras Med Esporte – Vol. 20, No 1 – Ene/Feb, 2014

O excesso de peso contribui para muitos problemas de saúde graves. Os problemas ósseos mais comuns na obesidade são:

  • Lombalgia;
  • Hérnia de disco;
  • Tendinite;
  • Artrite;
  • Artrose;
  • Esporão do calcâneo;
  • Fascite plantar

A artrite reumatoide causada pela obesidade é um problema cirúrgico e sua recuperação é lenta. Embora os pacientes obesos sejam menos propensos à osteoporose, correm risco de complicações que podem comprometer os resultados da cirurgia, além de provocar alterações no alinhamento dos membros inferiores. É preciso garantir a possibilidade de reabilitação e prevenção de lesões que incluam a integração da orientação postural dos membros inferiores com o controle motor, que possam afetar as atividades de estilo de vida ativa, como caminhar, tomar banho e levantar sem ajuda.

Portanto, todas essas alterações posturais causadas pela distribuição de gordura no abdome podem levar a uma deficiência biomecânica da coluna lombar, o que favorece hipotrofia muscular, fraqueza e rigidez das estruturas articulares durante o movimento, ou seja, quando associada à postura, dá origem ao aparecimento de dores lombares, que levam principalmente à hipotrofia do grupo muscular responsável por garantir a estabilidade dessa região. [3]DE SIQUEIRA, Gisela Rocha. DE SILVA; Giselia Alves Pontes. Alteraciones posturales de la columna vertebral e inestabilidad lumbar en el individuo obeso: revisión de la literatura. Fisiotra. Mov ., … Continue reading

Ao analisar os ângulos dos joelhos direito e esquerdo, observou-se uma relação de 147º e 145º, considerando-os como joelhos valgos (voltados para medial). De acordo com o arco longitudinal medial do pé, a maioria das crianças obesas e com sobrepeso apresentam pés planos direito e esquerdo em ambos os sexos; com grande apoio no pé direito. [4]DE CASTRO, Gisélia Gonçalves et al. Sobrepeso y obesidad infantil: factores predisponentes para alteraciones ortopédicas. Portal Atlântica Editora Fisioterapia Brasil . v. 18, núm. 4 (2017).

As técnicas da cirurgia bariátrica atuam restringindo a capacidade gástrica e/ou produzindo má absorção parcial de alimentos. Todas se mostraram eficazes no tratamento da obesidade e na melhora das comorbidades associadas, destacando-se o alto percentual de remissão das doenças ortopédicas a ela associadas.

Referências[+]

Assine nossa newsletter