Facebook pixel code

Obesidade e COVID-19

A inclusão de pessoas obesas nos grupos de risco se deve ao aumento da probabilidade de hospitalização

Por Falando de Obesidade - Atualizado em 13 dez 2021, 10h:28 - Publicado em 04 nov 2021, 19h:26 Obesidade e COVID-19

Pessoas obesas estão no grupo de risco?

A pandemia da COVID-19, o confinamento das pessoas e as mudanças de hábitos, seja pela redução das atividades esportivas, sedentarismo ou pelo maior consumo de alimentos, lançam dúvidas e grande preocupação em toda a população. Principalmente para as pessoas em situação de obesidade incluídas no grupo de risco.

A obesidade aumenta o risco de muitas doenças não transmissíveis como a diabetes mellitus, distúrbios cardiovasculares, cânceres e doença hepática gordurosa não alcoólica, e muitas vezes com várias delas em um único indivíduo. Acredita-se que essas comorbidades coexistentes aumentem a probabilidade de contágio por COVID-19 nas pessoas com obesidade. E isso também ocorre porque o excesso de adiposidade visceral parece estar associado a resultados graves de COVID-19 [1]Huang Y, Lu Y, Huang YM, Wang M, Ling W, Sui Y, Zhao YL (2020) Obesity in patiens with COVID-19: a systemic review and meta-analysis. Metabolism. 113: 154378. … Continue reading.

A inclusão de pessoas obesas nos grupos de risco se deve ao aumento da probabilidade de hospitalização e até mesmo a internação em UTI – Unidade de Terapia Intensiva, com necessidade de utilização de ventilação mecânica para pacientes obesos com COVID-19.

Outro motivo tem uma provável relação com os distúrbios respiratórios associados à obesidade. Pacientes obesos apresentam diminuição do volume de ar nos pulmões ao final da expiração e diminuição do volume de reserva expiratória entre outras anormalidades relacionadas à respiração. E isso se deve principalmente a uma diminuição da elasticidade da parede torácica a causa do acúmulo de gordura ao redor das costelas, do diafragma e do abdômen[2]Marchesi F, Valente M, Riccò M, Rottoli M, Baldini E, Mecheri F, Bonilauri S, Boschi S, Bernante P, Sciannamea A, Rolla J, Francescato A, Bollino R, Cartelli C, Lanaia A, Anzolin F, Del Rio P, Fabbi … Continue reading.

Além disso, a obesidade aumenta a trombose o que é relevante dada a associação entre COVID-19 grave e a formação de coágulos em circunstâncias anormais ou inadequadas e altas taxas de tromboembolia venosa[3]Sattar N, McInnes IB, McMurray JJV (2020) Obesity Is a Risk Factor for Severe COVID-19 Infection: Multiple Potential Mechanisms. Circulation. 142(1):4-6. doi: 10.1161/CIRCULATIONAHA.120.047659..

Um estudo francês revela que o risco de ventilação mecânica invasiva em pacientes infectados com COVID-19 e internados em UTI foi 7 vezes maior para aqueles com IMC superior a 35 kg/m em comparação com pacientes com IMC inferior a 25 kg/m[4]Simonnet A, Chetboun M, Poissy J, Raverdy V, Noulette J, Duhamel A, Labreuche J, Mathieu D, Pattou F, Jourdain M, Lille Intensive Care COVID- 19 and Obesity Study Group (2020) High prevalence of … Continue reading.

Uma série de metanálises revisou 75 estudos sobre a relação de indivíduos com obesidade e a COVID-19, em todo o espectro do risco à mortalidade. A análise mostra que as pessoas com excesso de peso tiveram risco superior a 46% para teste positivo para COVID-19, 113% para internação, 74% para admissão em UTI e para mortalidade com um aumento de 48%[5]Popkin BM, Du S, Green WD, Beck MA, Algaith T, Herbst CH, Alsukait RF, Alluhidan M, Alazemi N, Shekar M (2020) Individuals with obesity and COVID-19: A global perspective on the epidemiology and … Continue reading).

COVID-19 coloca minha cirurgia bariátrica em risco?

Com esses dados, há médicos que apontam que pessoas que realizaram cirurgia bariátrica e que tiveram evolução com redução de peso e reeducação alimentar, restringiram o risco de desenvolver complicações respiratórias e inflamatórias.

Para aqueles que tinham cirurgia bariátrica agendada ou seu médico estava estudando o caso de obesidade, é importante observar que infecções leves e moderadas por COVID-19, especialmente quando não ocorrem complicações por ventilação mecânica invasiva, não devem excluir a indicação para a cirurgia.

Mas é importante levar em consideração o tempo necessário para a resolução completa da infecção por COVID-19 e a cirurgia bariátrica que deve ser apropriada para a gravidade da doença, mas geralmente, isto ocorre em um período de 4 a 7 semanas. Uma infecção anterior por COVID-19 não induz complicações específicas adicionais após a cirurgia bariátrica[6]Nedelcu M, Marx L, Lutfi RE, Vilallonga R, Diaconu V, Aboudi S, Cirera de Tudela A, Ferrer JV, Ramirez J, Noel P, Nedelcu A, Carandina S (2021) Bariatric surgery in patients with previous COVID-19 … Continue reading[7]COVIDSurg Collaborative and GlobalSurg Collaborative. Timing of surgery following SARS-CoV-2 infection: an internatio.

Quais cuidados devem ser tomados na obesidade?

Em tempos de pandemia, além do uso de máscaras e higienização constante das mãos com álcool em gel ou água e sabão, evite tocar nos olhos, nariz e boca. Vacine-se com as doses recomendadas pelas autoridades de saúde.

A OPAS – Organização Pan-Americana da Saúde incentiva as pessoas a tomarem a vacina contra a COVID-19 que estiver disponível. As autoridades reguladoras nacionais de cada país comprovaram que todas as vacinas autorizadas são seguras e eficazes na prevenção à COVID-19.

Além disso, algo muito importante para a pessoa obesa – e não só – é a adoção de hábitos saudáveis ​​como o consumo de alimentos frescos com muitas frutas e verduras, procurando sempre uma alimentação balanceada e mantendo a atividade física com certa regularidade (andar, sair de bicicleta), contribuindo para uma modulação imunológica positiva.

Como auxílio ou motivação, o obeso também pode buscar alternativas tecnológicas, por meio de plataformas online ou aplicativos para orientar seu controle de peso e comorbidade com rastreadores alimentares e calóricos[8]Yeo C, Ahmed S, Oo AM, Koura A, Sanghvi K, Yeo D (2020) COVID-19 and Obesity-the Management of Pre- and Post-bariatric Patients Amidst the COVID-19 Pandemic. Obes Surg. 30(9), 3607–3609. … Continue reading, para controlar sua atividade física e também encontrar grupos de apoio social.

Lembre-se: mesmo estando vacinado, é importante seguir as indicações da OMS – Organização Mundial da Saúde quanto aos cuidados, visando reforçar a segurança do seu ambiente, evitando espaços fechados, superlotados ou que provoquem contatos próximos – e nestes casos, é muito importante abrir as janelas para aumentar o fluxo de ventilação natural – e continue utilizando a máscara.

Quando for necessário reunir-se com amigos ou familiares dê preferência, sempre que possível, aos espaços exteriores, evitando pequenos espaços interiores ou com pouca circulação de ar, mantendo o distanciamento físico e lavando as mãos com frequência, isso protege você e os demais.

Referências[+]

Assine nossa newsletter